Monday, September 20, 2010

Senti-la'ncia


Sossegaram os passos.
Quase não há receios.
Ao redor dos cabelos.
Lapsos se compassaram.

Sentia-os em veemência
Cintilavam.
Senti! La-
vravam uma calmaria.

Sem ti,
Sem mim,
Contudo...
Com tu(n)do.

Sossegaram ...
Fiquei feliz e tacanha.
Fiquei e estou sendo. (e outros verbos)
Versos ébrios de tanto m’eu.

Sem saber com qual
ou quê  arte-manha (manhã)
 ou coisa vespertina,
vi-me menina...
Sosseguei.

Ádila Ágatha de Carvalho (setembro em primavera, 2010)



5 comments:

Carlos La Terza said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Wagner Pyter said...

gostando muito.
vc evoluiu, já tá em primaveras

Daniela Filipini said...

Você escreve com a alma, é lindo.

Kell Alves said...

Escrevo, mas nunca fui poeta.
Pena, porque é tão bonito dizer-se por versos.
Se o dom da poesia não me alcançou, em ti ele fez morada.
E tenho dito! (com gratidão sincera pelo coment tão profundo deixado no 'Para que nunca me esqueça').Guardarei ele comigo atentendendo ao próposito que se encerra no título que escolhi o blog q chamo de meu.

Luiza said...

Te achei no orkut, mas vc é inadicionável, rsss. Quando vejo uma pessoa que me parece interessante, n gosto de perder a oportunidade de conhecer... Tiver msn:

oc.matheus88@hotmail.com.

Té.