Friday, November 10, 2006

Jaz nela




Tudo que há
- Jazz nela
Tudo que nela entra
É pela janela

Lá fora
Tem luz, tem cor, tem vida
Tranca a porta
Mas isso l’aflora.

E nisso sentindo
Que está a sentir nada
Sente indo
Sentinela sem ti,
Das coisas que partem sem deixar pegadas.

Isso entendendo
Que está a entender nada
Como cápsula
Que se bebe em um agora
Para um efeito tardio

Quem garante que a pílula cura?
E se a dor de cabeça que não se cansar dela?

Lá fora
Por detrás da nuvem, é um lindo dia de sol
Isso l’aflora
Mesmo de dentro, pra fora.


Ádila Ágatha de Carvalho

1 comment:

augustodamaia said...

vc acertou no poema.
esse é o melhor do blog.
poema bom.